quarta-feira, 17 de abril de 2013

E este é o mundo que nos pertence...




E este é o mundo que nos pertence...

Ao Jorge, o meu amigo/irmão

Mãos fechadas cheias nada
uma lágrima de sangue de uma criança
ossos da fome sem esperança
olhares aflitos a sufocar os gritos
e todo o mundo separado
pelo arame farpado
da mais cruel indiferença.

Alexandre de Castro

Lisboa, Fevereiro de 2013